18 - COMO TORRENTE!


A nossa relação pessoal com Deus, «REPARAR QUE ELE ME OLHA!» tem uma característica única e saliente: É ser «AMOROSA», «AFECTIVA» ... é o exercício da Vontade que deseja, que busca, que ama. É uma torrente de Amor delicado e puro que invade a nossa pequena vida!

A 1ª manifestação do amor é o afecto, o grito, a necessidade exprimida. 

Não tem de ser necessáriamente clamorosa, pode ser um sussurro, um gemido sincero, uma queixa...tudo aquilo que pode ser expressão viva de um coração ferido ou feliz.
Tudo acontece a partir do INTERESSE da vontade...tudo é «suavemente afectivo». Se vissemos pessoalmente o Senhor «em osso e carne»...correriamos a abraçá-L'O com toda a ternura do coração! tal é a força do amor interior que nos preenche!

A SOLEDADE , que ajuda a que a nossa consciência se disponha para viver a proximidade, a intimidade com O AMIGO..  A isto,  Teresa chama:  «Chamar a vontade...». Chamar, cativar com laços afectivos que brotam daquele olhar interior,a vontade dispersa, rebelde...

Aqui há que aprender a estar a sós com O AMIGO. Ainda não O vemos, mas começa a existir uma percepção gradual e forte da Sua Presença...

Nesta soledade cresce a CONSCIÊNCIA de proximidade e intimidade em relação a Deus (O AMIGO) e em relação a nós mesmos...